No ano de 1981, a familia Baglietto Tardío fundou a Residência de Estudantes EASO no último andar de um edifício na Gran Vía de Madri. A procedência vasca dos proprietários das residências impulsou a chamá-las EASO, já que é o nome com que se denomina a cidade guipuzcoana de San Sebastián e que provém da mitologia grega: a deusa Easo.

O objetivo era alojar estudantes universitários espanhóis, que tendo resolvidas as necessidades domésticas básicas, pudessem dedicar-se aos seus estudos vivendo em um ambiente humano, mas isento de paternalismo, que potencializasse a própria liberdade e responsabilidade do estudante. Devido à boa aceitação, no ano seguinte ampliaram-se as instalações para o sétimo andar do mesmo edifício.

Madrid

Paralelamente a isso, se desenvolveu a organização de cursos intensivos de espanhol durante os meses de verão, combinando o mesmo tipo de alojamento com a imersão do estrangeiro na língua e cultura espanhola.

Através dos cursos de verão de espanhol, EASO entrou em contato com estudantes estrangeiros e surgiu a necessidade de ampliar o número de vagas e criar outro tipo de alojamento mais adaptado à outras culturas. Assim, no ano de 1993 fundou-se a residência de Callao, na que se propôs um tipo de alojamento em regime de apartamento compartilhado, mas com a organização de uma residência de estudantes.

O êxito deste último projeto motivou a reconversão das residências de Gran Via a esse novo sistema e à criação, no ano de 1998, da residência de Chinchilla situada nos arredores da Porta do Sol e no ano 2000, a de Ópera.
Em dezembro de 2008 inauguraram-se outras duas residências situadas tembém no mesmo edifício de Callao, consolidando assim essa forma de organização atual dos estabelecimentos EASO.

Nossa oferta atual, que nasceu como um pequeno negócio familiar e agora dispõe de oito residências próprias no centro de Madri, não é só o alojamento, mas também a experiência de 30 anos no trato e contato enriquecedor, com as vivências de estudantes de diferentes partes do mundo.